C:\Users\Fala guri\Desktop\google45c75f9b8ec9581a.html

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Licença vívida

De que me adianta tantas palavras, se sou censurada nas ações? De que me adianta a liberdade de expressão, se não posso viver a licensa poética? De que me adianta tantas letras, tantos fonemas, em meio a tantas regras para usá-los? Por que o poder dita quem pode e quem não pode? E minha solidão parece tão confortável, porém é o grupo sempre mais forte? A sobrevivência me afasta da vida.

11 comentários:

Rafa disse...

"...De que me adianta tantas letras, tantos fonemas, em meio a tantas regras para usá-los?..."

Complexo, adorei esse texto, rwaista, mas é dificil alterar questões culturais...

http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

Saumensch disse...

Eu simplesmente adorei.

Fazia muito tempo que eu não vinha aqui...

Mas não deixe de escrever nunca.
Por mais que hajam tantos conflitos, é a escrita que nos mantêm vivos.

Lucas bertollo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Gazzeta Insana disse...

Infelizmente é assim, regras, liberdade de expressão que não existe... nossa sociedade, onde a hipocrisia prevalece!
Muito bom seu texto.
Beijos!

Fernanda Dantas disse...

O bom das regras é desafiá-las. Em litersatura amei os modernista, depois dele eu posso escrever versos livre e encontrar quem veja como poesia.

Adorei seu texto, vc escreve muito bem.
Bjs!

Avassaladoras Rio disse...

Querida amiga avassaladora...Espero que num futuro muito proximo voce conquiste a licença poetica e viva em liberdade de expressão.
Boa sorte.

Vinicius disse...

Boa noite. Agradecido pela visita ao meu blog, obrigado por teres postado o comentário.
Eu sempre acreditei nos poetas e poetizas,pois não são falsos como tantos,e as suas poesias fantasiosas vão além as vezes da normalidade cansativa e tediosa de certos dias.Dão ânimo a vida.São momentos preciosos de fantasia e pura beleza numa lida só.
Uma boa noite e um ótimo domingo pra ti.
Abraço.

Fá-rofa Marinho disse...

Nossaaa... A sobrevivência afasta da vida... É tão forte, mas tão sincero, tão real.

E tão... reflexo de mim mesma. Concordo com você, Rubra.

Saudades daqui.

http://espelhoinverso.blogspot.com/

Lucas Lima disse...

mas é quase tudo assim, tem seus dois lados, o perfeito é só o aceite dos defeitos, engraçado, né, rs
bons dias

Wallace Trovao disse...

Naum sei se isso tem muito haver com o seu texto mas axei q vc pode gostar dessa observação...

De que me adianta tantas palavras, se sou censurada nas ações?

Não adianta falar PAZ tem que praticar PAZ mesmo...

Felipe disse...

Na verdade, pode-se. Mas o preço da liberdade é a consequência, e a gente é condicionado a pensar nela como uma chapa quente na qual não se deve mexer.